As Coleções do Museu Nacional do Azulejo de Lisboa são a mostra da Galeria de Arte do Sesi de 8 de abril a 20 de julho. Fazem parte da exposição mais de 140 painéis que datam desde o século XVI até os dias atuais, passando pelos mais diversos estilos arquitetônicos – rococó, romântico, modernismo, pós-moderno.

\

“Caça ao leopardo”, 3o. quartel do século XVII

A produção dos azulejos em Portugal assumiu caracteres de diferenciação e de formação da identidade cultural do povo lusitano. Sua fabricação seguia a tradição árabe e em sua maioria, eram utilizados de forma a completar e fazer parte da arquitetura, criando ambientes cheios e totais. O público poderá entrar em contato com itens cuja relevância não é só artística, mas também histórica. No Brasil colônia, por exemplo, os azulejos eram utilizados para inculcar valores católicos na população.

\

“Composição”, de Bela Silva, 1999

A coleção abriga desde artefatos coloridos e detalhados até os monocromáticos e simples. O maior dos painéis integrava uma escadaria e chega a ter mais de três metros. Os motivos são variados: florais, religiosos, mitológicos e até geométricos. Brasões de famílias e de armas portuguesas fecham o conjunto. Alguns parecem ter sido pintados a giz de cera; exemplares em alto relevo ou com bordas recortadas são intrigantes. Além dos azulejos, fazem parte da exposição artigos de cerâmica, como vasos e pratos, e estátuas.

Painel de azulejos padrão, de Raul Lino, 1970

 Painel de azulejos padrão, de Raul Lino, 1970

Os painéis mais interessantes são os de azulejos enxaquetados – aqueles que, na repetição, formam uma imagem maior. As cores intensas usadas nas obras modernistas criam figuras sem forma definida. O Grande Painel de Lisboa, de 1700, retrata a capital e indica os pontos mais relevantes da cidade. As imagens de Camões e Fernando Pessoa, pelo artista Júlio Pomar, também chamam a atenção.

Detalhe - Fernando Pessoa, de Júlio Pomar

Detalhe da imagem de Fernando Pessoa, pelo artista Júlio Pomar

O Museu Nacional do Azulejo de Lisboa é referência na Europa, e está desde 1980 instalado no Convento da Madre de Deus.

Coleções do Museu Nacional do Azulejo de Lisboa
Galeria de Arte do Sesi, Centro Cultural Fiesp
Seg.: 11h às 20h,  Ter. a Sáb.: 10h às 20h, Dom.: 10h às 19h
Av. Paulista, 1313
 (11) 3146-7405 / 3146-7406