Ressuscitando o blog, vamos falar mal de pessoas e desfiles.

Meio mundo elogiou o desfile dos estilistas Jackal Kuzu e Cabaret Aki, que rolou na última quarta-feira (3), na Semana de Moda do Japão, em Tóquio, com peças da coleção primavera-verão de 2009 da Gut’s Dynamite Cabarets. Falaram da “inspiração punk”, da “irreverência”, mas, gente, eu só consigo pensar em uma coisa: emo!

Ok, talvez duas. What the fuck?

Anúncios

A marca Daspu fará desfiles internacionais a partir de agosto. Sua coleção será desfilada na Conferência Mundial de Aids na Cidade do México. Cada desfile trará mulheres de diferentes países, como Argentina, Austrália, Equador, Peru, Espanha, Portugal e Tailândia.

daspu

A Daspu foi criada em 2005 a partir da ONG Davida, cujo foco principal é trabalhar a auto-estima de prostitutas.

O desfile da Têca, da estilista Helô Rocha, me surpreendeu. Ontem (9/06) a Fashion Rio se deslumbrou com cores, bordados, estampas floridas e xadrez combinadas de forma romântica e delicada, sem cair no piegas ou no convencional. Uma Mulher Vestida de Sol, de Ariano Suassuna, foi o mote para as confecções.

As pernas à mostra, a alfaiataria chique e as cinturas bem delineadas marcaram presença no desfile. O clima hiponga não estava nem disfarçado: as modelos usavam trancinhas e tinham o visual clean, feito por Fernando Torquato. A Têca reviveu até as bolsinhas de couro, e conseguiu colocar numa modelo uma “pochete” sem parecer brega, quebrando vários tabus de uma só vez.

A marca apostou também no patchwork, e devo dizer, de forma corajosa, porque do patchwork pro brega é um pulo. Eu senti um toque meio nordestino, meio caipira-brasileiro combinado com hippie-chique em todas as peças. E, olha, a mistura deu certo.

A minha eleita foi essa combinação aqui. Olha só que luxo o coletinho florido com o short xadrez e o lenço verde. A camisa branca vem dar uma quebrada – mas nem ela é tão basicona assim: repare nos bordados na barra. 

 

A próxima edição do São Paulo Fashion Week não será a mesma dos anos anteriores. O motivo? A famosa marca Zoomp, que desfilaria no dia 22 de junho, saiu do SPFW por motivos financeiros.

Pois é! Para quem achou que uma loja assim cara não teria dívidas , se enganou. Pertencente ao grupo I´M (Identidade Moda), que vem passando por uma crise financeira, a Zoomp cancelou o desfile e também cortou custos de suas lojas.

A grife divulgou hoje um comunicado oficializando a sua saída do SPFW:

“Em abril de 2008, a Zoomp S/A iniciou um profundo plano de reestruturação organizacional que tem por objetivo básico sanear financeiramente a empresa.
Dentro deste processo, já efetuamos um expressivo corte de custos, racionalizando e agrupando atividades, e iniciamos o pagamento de fornecedores.
Independente das ações já tomadas e, acima de tudo, em respeito a todos os que nos apoiaram, decidimos que neste momento não seria oportuno participar da próxima edição do SPFW.
Nossa coleção primavera/verão foi desenvolvida e está pronta para ser apresentada ao mercado em nosso showroom, que terá início no próximo dia 16 de junho.
Reiteramos os agradecimentos a todos que nos apoiaram: fornecedores, investidores, bancos e, principalmente, aos nossos colaboradores que sabem e confiam que a marca Zoomp voltará a brilhar com a mesma força que brilhou nestes últimos 34 anos.
Atenciosamente,
Comitê Gestor Zoomp”

É, a coleção primavera-verão está pronta. Mas, pelas passarelas da São Paulo Fashion Week, ela não vai passar.

Começa hoje a 13ª edição do Fashion Rio, evento de moda que trará para as passarelas cariocas instaladas na Marina da Glória as proximas tendências primevera/verão de 2009.

 

 

O evento promete agitar a cidade e calar aqueles que insistem em que a moda é alienante. Otema desse ano? It’s all about the R’s! Repensar, Reciclar e Renovar.

Entrando em sintonia com a tendência ecologica mundial, o evento pretende fazer seus participantes pensarem sobre o lixo que produzimos atualemente em uma sociedade  baseada no que é instantâneo e descartável.

As 40 grifes que sobem nas passarelas nestes sete dias de evento  trazemsuas coleções alinhadas nesse pensamento,  se utilizando de materiais até mesmo difentes em suas peças.  Inovação e vanguarda green. 

Nesta mesma linha ecologicamente correta são as instalações do evento. Toda a madeira – mais exatamente 25 toneladas –  é composta por materias inusitados como borra de café, fibra de coco, resíduos da industria textil e até mesmo notas defeituosas dispensadas pela Casa da Moeda Brasileira.

O carpete também leva materiais recicláveis e com reaproveitar é fashion, o espaço de conveniência e media center ganham um toque especial com as luminárias feitas com o reaproveitamento de carreteis industriais reaproveitados. 

O projeto tem direção da fotógrafa Mari Stockler e segue a tendência mundial de usar essas estruturas metálicas na arte, design e  arquitetura, procuramdo novas formas de  se enxergar a moda.

Para quem está no Rio, está é um boa pedida para a próxima semana. Para quem não pode viajar, vale acompanhar na midia para saber o que é in ou out na próxima estação. Mas uma coisa já está clara. Eco is fashion, baby!

 

Hum, o que costurar agora?

Júlia Maria Conceição fez sua estréia como estilista na última edição do São Carlos Moda Show, no final de abril. Até aí tudo bem, mas sabe a idade dela? 95, segundo a certidão de nascimento, ou 111, segundo sua sobrinha-neta. E o material que usou para suas confecções? Toalhas e cortinas do asilo em que vive.

Cara de “Ha, o que vou confeccionar agora? Só falar que eu faço!”

Júlia mora no Helena Dornfeld, em São Carlos, no interior paulista. Nunca teve contato com o universo fashion ou com cursos de corte e costura. Analfabeta e ex-doméstica, ela não fala muito. Foi quando cortinas, toalhas e guardanapos do asilo começaram a sumir, há quase dez anos, que seu talento foi descoberto.

Olha ela fazendo a fina

A administração do asilo incentivou-a a mostrar suas peças no evento e a aceitação foi razoável. Júlia não vendeu nenhuma de suas criações, mas houve quem demonstrasse interesse. Ela continua confeccionando – a matéria-prima, porém, agora é doada, e a infra-estrutura do asilo não está mais comprometida.

Cara, imagina só quando essas peças começaram a sumir? E quando apareceram de novo em forma de vestidos? Imagino o tempo que o pessoal deve ter levado pra entender tudo aquilo. A Júlia, claro, deve ter ficado super feliz. Só que deve ter sido chato esperar tanto tempo pra revelar o talento…

Mesmo os que não conhecem tanto sobre o mundo da moda ou que nao acompanham as tendências de cada estação, já devem ter ouvido falar da marca Yves Saint Laurent. Por isso, dedico esse post ao criador da marca – o próprio Yves Saint Laurent – que morreu neste domingo, em Paris.

Yves Saint Laurent, 1974

Ícone da alta costura, ao reinventar a silhueta feminina revolucionou o mundo da moda. Visto como um “libertário que transformou a mulher”, o estilista teve como marca principal o “Le Smoking” – terno feminino apresentado na década de 60, que mudou a atitude das mulheres dessa época com esse novo modo de se vestir.

“Le Smoking”, originalmente criado em 1966

Aposentado desde 2002, Yves Saint Laurent será lembrado como um estilista que provocou a sociedade levando a calça ao guarda-roupa feminino, e também como um dos maiores nomes da moda – um dos mais importantes da alta costura do século XX.