Em Relíquias e Ruínas, onze fotógrafos registram paisagens do patrimônio cultural da humanidade. O título traduz bem a sensação que se tem ao contemplar as imagens: mesmo estando em ruínas – e porque estão em ruínas – os materiais registrados são de um valor inestimável – relíquias.

Taipei, Mauro Restiffe

O SESC Avenida Paulista abriga a mostra até 13 de junho, dividida entre os pisos térreo, onde os transeuntes conseguem ver algumas das fotografias da rua, e quarto. São 31 fotografias agrupadas em seis conjuntos. No mínimo, essa divisão entre os andares serve para capturar, como numa vitrine, a curiosidade dos milhares de ocupados que transitam pela avenida todos os dias – e, devo admitir, funcionou comigo.

Machu Picchu, no Peru, por Hans-Christian Schink

Instalações sonoras ao longo da área da exposição chamam a atenção, tocando poemas e textos recitados. Apesar de estarem um pouco deslocados do contexto geral da exposição, ajudam a reproduzir o clima dos lugares fotografados.

Teatro Heredia IV, em Cartagena das índias, por Caio Reisewitz

A exposição é muito bacana porque tira da banalidade cenas e construções que talvez não percebêssemos normalmente. Os cenários não são decadentes, contém uma beleza não convencional e um tanto difícil de perceber.

Dá pra refletir um bocado sobre o porquê de alguns lugares suscitarem outros significados e serem considerados belos, enquanto tantos outros que estão tão “arruinados” quanto não são motivo de exposições. A mostra é também ponto de partida de muitas reflexões sobre a necessidade de preservar o patrimônio histórico.

Relíquias e Ruínas
terça a sexta, das 11h às 21h
sábados, domingos e feriados, das 11h às 20h
SESC Avenida Paulista
Av. Paulista, 119 – Paraíso
(11) 31793700
www.sescsp.org.br

Anúncios