A vida e a obra de Pablo Picasso, considerado o grande ícone das artes visuais no século 20 , são celebradas hoje, no 35º aniversário de morte do artista.

Em 8 de abril de 1973, o artista espanhol morreu em Mougin, na França, quando tinha 91 anos e deixou em seu portfólio aproximadamente 20 mil obras que não se restringiam apenas à pintura, mas também esculturas, desenhos e cerâmicas.

Segundo informações liberadas pela firma de segurança The Art Loss Register,  as obras do artista se valorizam cada vez mais a cada ano e  são indicados como alvo número um de ações de ladrões e traficantes de arte  de todo mundo.

Mais de três décadas depois de sua morte, as criações de Picasso ainda são referência mesmo fora do universo das artes visuais – um exemplo dessa “versatilidade” da figura do artista é sua assinatura aplicada ao modelo X-sara, da montadora francesa Citröen, lançado em 2000.

A vida pessoal e profissional do artista  do artista se misturam e o perpetuam como um dos mais polêmicos, chocantes e geniais da primeira metade do século XX.

 

Anúncios